segunda-feira, 9 de novembro de 2009

RINGO 2


‘DING DONG, OS SINOS TOCAM’
Estacios Valoi
28/02/09
Ambos os ritmos serteiam divinos. Contudo foram dias a procura do outro, as vezes perdido no ‘hifen’ par que pudesse escrever ao Ringo caso fosse necessário acrescentar algum dado sobre a tertúlia no momento. Entre o cruzamento das linhas o ruído era permanente que por alguns instantes dificilmente percebia o que ele tentava explicar me, se o ‘hífen’ no seu correio electrónico, deveria ser colocado no meio ou mais abaixo. Em fim foi como ‘ o ultimo voo do flamingo título de uma das obras literárias do Mia Couto que brevemente estará nos ecrãs. Era preciso beber e beber mais e claro com a tua permissão rasgo o título.
A minha viagem continua a procura do outro e desta vez coube a Ringo Madlingozi, musico sul-africano conhecido entre nos cuja sua ultima actuação em solo moçambicano realizou se na catedral da cultura Cine Africa. Ringo que se encontra entre os vários nomes sonantes das estrelas que vão actuar nesta 10 edição do festival internacional de Jazz Cape Town a ser realizado brevemente destacam se nomes como o do saxofonista McCoy Mrubata, o guitarrista Sul-africano Dr.Philip Tabane, Cape Town Orquestra Jazz, a primeira profissional após o Apartheid. As 16 pecas constituem o cérebro da criança do pianista lendário Abdullah Ibrahim.
Também estarão presentes o guitarrista Jonathan Butler que vai actuar na companhia de Dave Koz, o pianista Mikel del Ferro, Sibonguile Khumalo, Shannon Monday, Al Foster Quartet, Arturo Lledo, o Grupo Dave Libien, Dianne Reeves, Emily Bruce, Freslyground, Hugh Masekela, Incognito, Jonathan Rubain, Kyle Eastwood, Loading Zone, Maceo Parker, Maurice Gawronsky, New York Voices, Peter White, Rus Norwich’s colective imagination, The Stylistics e Zap Mama.
Mas agora vou ao encontro do outro no festival, mas antes a outra linha dos músicos que também estarão presentes nos 5 palcos a serem montados para o espectáculo.
De entre estes encontram se os 340ml, Prisioners of Strange, Goldfish, Kyle Shepherd, Magic Malik, Napalma, Ndumiso Nyovane, Pete Philly e Perquisite, Robert Glasper e The Experiment, Shakatak, Siphokazi, Southpaw Stewart Sukuma...

De Volta ao Ringo
Porque é que levaste muito?
A dois dias que tenho estado no estúdio.
Que andas a fazer pelo estúdio?
Estamos a trabalhar no projecto do Sibonguile a sua visão na melhor forma de criar uma plataforma de trabalho própria, ’nossa’ de modo a perdoar aqueles que outrora nos oprimiram como sul-africanos.


Será esta uma versão do processo Verdade e Reconciliação!
Segundo Ringo esta iniciativa visa sarar as feridas, libertar se da dor e a magoa que nos como velhos e jovens sul-africanos temos vindo a carregar dentro de nos. Este evento será realizado no proximo mes de Marco nos dias 20 e 21 de Marco próximo.
Pelo menos estas de volta. Ringo, por este mundo fora. Quem você realmente e”? o homem, musico e quais são os teus ideais?
Sou um músico que crio a música com a forca em mim, o amor, a sabedoria do universo na cura daqueles que tem a oportunidade de ouvir e entender a mensagem contida na minha música.
Mais uma vez convidado a fazer parte do festival. Qual e o teu sentimento?
Foi uma honra ser convidado 10 anos atrás para fazer parte do 1 Festival Internacional de Jazz de Cape Town, e agora que se celebra o 10 aniversario é formidável estar de volta, é uma outra grande honra, maravilhoso.
Como é que e feita a composição das suas musicas? Trazes contigo uma espécie de um codigo bíblico que te guia?
Estacio, sempre que entro no estúdio pouco sabe ou quase nada sabe sobre o que vou gravar. Entro com uma crítica clara e passado um mes lá estão as 12 músicas que serão o reflexo do meu modo de estar de viver o momento. Em norma peco um ‘click’, na nossa linguagem musical pede se tempo ‘ ritmo’ ao engenheiro de som e escuto as musicas em torno do meu espaço. Creio que poderia criar uma canção por dia como acredito que ‘ cada dia e uma canção’.
Quando é que o primeiro ‘click musical vem a sua cabeça?
Cresce cantando. Nunca utilizo um realejo artificial na criacao da música, seja no estúdio ou numa actuação em vivo. Não actuo para impressionar mas sim para satisfazer a minha necessidade interna espiritual.
Hoje a Africa do Sul com um índice elevado do consumo da cannabis sativa, primeiro no ranking mundial. Que transparece na tua mente?
Não estou interessado na quantidade da Cannabis Sativa que a Africa do Sul tem. Estou sim interessado no bem-estar dos meus compatriotas sul-africanos e o ser humano no mundo.
Quando fores ao palco nos dias 3 e 4. De que será composta a sua vestimenta?
O que vou vestir constitui uma surpresa pessoal assim como o meu voto é secreto
Enquanto divago na busca do outro, quiçá perdido algures neste mundo, descubro que ainda não o encontrei, engraçado e que todavia sei se o outro e o outro ou outra ou um objecto sei la. Vou embarcar no ‘ último voo do flamingo. Quem sabe não encontre o outro.

Sem comentários:

Enviar um comentário