segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Kristiina Tuomi


Tuomi em Maputo
Estacios Valoi
17/09/09

Exclusivo

A cantor nórdica que nos últimos tempos tem vindo a rasgar os palcos pela Europa e não só atravez do seu jazz escala Maputo no dia 09 de Outubro no teatro Avenida.
Durante a sua digressão que começa a 5 do próximo mês por alguns países africanos como a Tanzania, Madagascar passando por Moçambique vai terminar o seu périplo na África do Sul
Rebekka Bakken, Kari Bremnes, Rigmor Gustafsson ou Cæcilie Norby e a Tuiomi são alguns dos nomes que presentemente trazem as suas audiências ao delírio total formando uma nova definição da contemporaneidade no Jazz Europeu, distanciando se do acórdão umbilical das escolas do jazz norte-americano.


Toumi apresenta se como uma vocalista nata e original que pôs a Finlândia e a Alemanha na composição e canto do jazz moderna com uma viagem nos poemas de Poe e Shakespeare
De Mãe Alemã e Pai Finlandês, com o seu último álbum ‘aperta se para caminhar’ (Tight-Rope-Walker) a jovem de 27 anos balança como autodidacta tendo descoberto a música relativamente mais tarde. Estudou na Universidade de Berlim da ópera para o jazz navegando para a produção da música pop e dança popular.

Quando é que foi e a tua primeira visita a um país africano?
Infelizmente nunca estive em África e esta será a minha primeira viagem ao continente e estou muito excitada
Quem é a Kristina Tuomi mulher, a cantora e qual é a sua filosofia de vida?
Prefiro citar Oscar Wilde ‘as pessoas apenas conhecem se a si mesmas
A Quantas noites e dias andas a cozinhar a sua música?
Enveredei por estas s andanças a minha vida toda e atiro para tudo que cruza o meu caminho e todavia terminei a cozinha.

Quando é que o primeiro som da musica vem te aos ouvidos e decides embarcar nesta viagem?
Não me lembro. Creio que isto começou ainda no ventre da minha mãe ou quando nasci.

Qual é a tua base de inspiração?•Olha, são muitas as coisas que poderiam inspirar me mas apenas as pessoas, os livros e o cinema me inspiram.
Tuomi com actualmente com cinco álbuns. De entre estes álbuns qual seria a tua faixa favorita?
Tenho cinco álbuns, dois com Tuomi, outros dois com ‘ So Weiss e o ultimo com Tobia Sjögren. E faço parte de outros vários álbuns como vocalista convidada. Gosto mais de uns do que os outros mas não temos nenhuma faixa favorita.

Com Stefan Goldmann, rebentou os traços da música house e electrónica e avancou para uma das favoritas na grelha da lista dos mais ouvidos da BBC.
Quem são os músicos que vão fazer parte desta tournée por alguns países do continente africano e porque estes?
Carsten Daerr & Oliver Potratz.Nós nos escolhemos entre nós porque falamos a mesma linguagem musical e temos diferentes níveis ‘ backgrounds’ que nos inspiram e claro que eles são génios a tocar os seus instrumentos.
Alguns nomes de músicos com os quais dividiste a plateia na tua carreira. Quem são os teus ídolos?
Toquei com várias pessoas. Berlim esta replete de artistas. Quanto a Idolos! Prefiro dizer ‘influencias’ como Thom York pela lírica e dinâmica, Trent Reznor pela obscuridade e as baladas, PJ Harvei pelo estilo, Sting pela composição, temporização, e fraseamento, Joan Osborn pelo son…
O que a audiência pode esperar na vossa actuação em Maputo?
Muita emoção, dinâmica e melhores líricas

Que te vem a mente assim que pões os pés no palco?
Uma noite agradável e mais nada. A cabeça estaria virada para o vosso encontro e para a música. Fico focalizada ao público
Que mais te assusta neste mundo?
A desgastante doença., o Câncer.
Qual foi o livro mais importante que ‘bebeste’ ate aqui?


E deveras dificil fazer menção ao livro mais importante que li. Todas as fases têm o seu próprio livro. Adoro Oscar Wilde, Javier Marias e Margriet De Moor.
De qualquer forma as pedras se encontram mas contínuo pela Estrada a procura do outro. Quem o que seria o outro?
Seria a liberdade pela superficialidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário