domingo, 21 de agosto de 2016

Corrida ao ouro ou Morte/ The rush to gold or to death



 Corrida ao ouro ou a Morte 
4 pessoas morreram sototeradas 

 











Texto e fotos: Estacio Valoi
 21/08/16

O incidente deu – se esta manha nas minas de ouro de Muaja no distrito de Ancuabe em cabo Delgado.Das cerca de  15 pessoas previamenta dadas como mortas segundo nossas fontes no terreno, mais tarde constatou-se que apenas quatro perderam a vida, facto que veio a ser reconfirmado por uma televisao local que referia-se que   25 pessoas continuavam desaparecidas na mina que mais tarde veio a ser oficialmente fechada. Mas que os garimpeiros continuam a frequentar a mina
Entre os mortos, encontram-se Tanzanianos e maioritariamente Moçambicanos que exercem as suas actividades de garimpo naquela área.

Ainda ontem, após presença policial que culminou em tiroteio, a nossa reportagem visitou o campo de mineração onde juntamente com outros garimpeiros permaneceu sobe a superfície da mina que hoje desabou. Na altura mais de 100 garimpeiros encontravam se no túnel de entre 7 a 9 metros de profundidade e, mais de 25 de cumprimento ‘ corcunda.”

Sirenes, buzinas- carros, motas, pessoas a pé, tudo e todos movimentam -se em alvoroço para o centro da mina
Com o medo da brutalidade, como a que ocorre nas minas de rubis por parte das Forças de Conservação Ambiental e Terra do Ministro Celso Correia (MITADER), as pessoas da ou na comunidade, tem medo de ir a mina socorrer as vitimas.

 Uma das vítimas da brutalidade da Forca, em conversa com a nossa reportagem no dia 20/08/16, um dia antes da tragedia enfatizou que a Força do (MITADER) que esteve na mina durante os últimos três dias estava prestes a voltar ao terreno. “Disseram que vão voltar hoje as 19h. Então, como não estão aqui, nós todos estamos a aproveitar cavar e fugir daqui antes de eles voltarem. Só hoje de manha, dispararam mais de 20 tiros”

Das cerca de quinze mortes a principio anunciadas pelas nossas fontes no terreno, desde mineradores artesanais ilegais -Garimpeiros, pessoas da communidade, uma das televisoes locais, ainda na manha de hoje reportava do local e, referia-se a 4 mortes e cerca de 25 garimpeiros desaparecidos na mina em questao!

Durante toda a operacao policial foram confiscadas dos taxistas, garimpeiros   cerca de 27 motos, bicicletas foram apreendidas pela polícia moçambicana de Cabo Delgado ea mina foi fechada.
The rush to gold or to death
4 people died buried
By Estacio Valoi

The incident took place this morning in Muaja gold mines in Ancuabe district of Cabo Delgado.
From the  15  people previous reported dead according to our sources on the ground, later it was found that only four lost their lives, and  this was later reconfirmed by a local television which stated that 25 people were still missing in the mine, later it came to be officially closed. But the miners continue to dig.
Among the dead are Tanzanians and Mozambicans-Majority carrying out their mining activities in the area.

Just yesterday, after police presence which culminated in shooting, our report visited the mining camp where together with other miners remained up the surface of the mine that collapsed today. At the time over 100 miners were inside the shaft   between 7 and 9 meters in depth, and more than 25 long 'hunchback. "

Sirens, cars horn, bikes, people walking, everything and everyone moves in an uproar to the mine center
With the fear of brutality, as occurs in ruby mines by the environmental conservation Forces and land of Ceslo Correia Minister (MITADER), people of the community or near are afraid of going to the mine to help the victims.

One of the victims of the brutality perpetrated by  (MITADER) its security force  in a conversation with  our report on 8/20/16, a day before the tragedy, emphasized that the Force  (MITADER) involved on going  raids on the mine during  the  last three days  was about to return to the land . "They will come back today go at 19 O’clock. So now that the force is not here, we are all digging as much as possible before they return here. This morning they fired more than 20 shots”

From the  about fifteen deaths previous  claimed  by our sources on the ground, from illegal artisan miners -"Garimpeiros" people from  Muaja comunity, Early today ,one of the local televisions reporting from the gold mine  in Muaja, referred to four deaths and about 25 missing miners at the mine ! 

During all the police its operation about 27 motorbikes , bicycles where seized from the motorbike taxi drives, illegal artisan mines by the Mozambican police in Cabo Delgado and the mine was shut down . Disseram fontes no local. 

Corrida ao ouro ou Morte/ The rush to gold or to death



 Corrida ao ouro ou a Morte 
Cerca de 15 pessoas morreram soterradas 

 











Texto e fotos: Estacio Valoi
 21/08/16

O incidente deu – se esta manha nas minas de ouro de Muaja no distrito de Ancuabe em cabo Delgado.
Entre os mortos, encontram-se Tanzanianos e maioritariamente Moçambicanos que exercem as suas actividades de garimpo naquela área.

Ainda ontem, após presença policial que culminou em tiroteio, a nossa reportagem visitou o campo de mineração onde juntamente com outros garimpeiros permaneceu sobe a superfície da mina que hoje desabou. Na altura mais de 100 garimpeiros encontravam se no túnel de entre 7 a 9 metros de profundidade e, mais de 25 de cumprimento ‘ corcunda.”

Sirenes, buzinas- carros, motas, pessoas a pé, tudo e todos movimentam -se em alvoroço para o centro da mina
Com o medo da brutalidade, como a que ocorre nas minas de rubis por parte das Forças de Conservação Ambiental e Terra do Ministro Celso Correia (MITADER), as pessoas da ou na comunidade, tem medo de ir a mina socorrer as vitimas.

 Uma das vítimas da brutalidade da Forca, em conversa com a nossa reportagem no dia 20/08/16, um dia antes da tragedia enfatizou que a Força do (MITADER) que esteve na mina durante os últimos três dias estava prestes a voltar ao terreno. “Disseram que vão voltar hoje as 19h. Então, como não estão aqui, nós todos estamos a aproveitar cavar e fugir daqui antes de eles voltarem. Só hoje de manha, dispararam mais de 20 tiros”

The rush to gold or to death
About 15 people died buried
By Estacio Valoi

The incident took place this morning in Muaja gold mines in Ancuabe district of Cabo Delgado
Among the dead are Tanzanians and Mozambicans-Majority carrying out their mining activities in the area.

Just yesterday, after police presence which culminated in shooting, our report visited the mining camp where together with other miners remained up the surface of the mine that collapsed today. At the time over 100 miners were inside the shaft   between 7 and 9 meters in depth, and more than 25 long 'hunchback. "

Sirens, cars horn, bikes, people walking, everything and everyone moves in an uproar to the mine center
With the fear of brutality, as occurs in ruby mines by the environmental conservation Forces and land of Ceslo Correia Minister (MITADER), people of the community or near are afraid of going to the mine to help the victims.

One of the victims of the brutality perpetrated by  (MITADER) its security force  in a conversation with  our report on 8/20/16, a day before the tragedy, emphasized that the Force  (MITADER) involved on going  raids on the mine during  the  last three days  was about to return to the land . "They will come back today go at 19 O’clock. So now that the force is not here, we are all digging as much as possible before they return here. This morning they fired more than 20 shots”

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Conferência Internacional sobre Justiça Climática

A Justiça Ambiental, irá realizar de 31 de Agosto a 2 de Setembro de 2016, a segunda Conferência Internacional sobre Justiça Climática, denominada “Semeando Justiça Climática”.

Este evento, surge da necessidade de dar continuidade a um processo de construção de um movimento de justiça climática em Moçambique, que teve início com a primeira conferência desta natureza, realizada em Abril de 2015 em Maputo.

Esta conferência, que terá lugar no complexo Kaya Kwanga, em Maputo, tem como objectivo principal, reunir membros de diferentes comunidades de todas as províncias de Moçambique que têm enfrentado as ameaças e impactos das mudanças climáticas, da energia suja e usurpação de suas terras. Serão convidados também alguns membros das comunidades sul africanas que enfrentam problemas similares, juntamente com activistas que trabalham na construção do movimento internacional de justiça climática e funcionários governamentais, com vista a juntos discutir os vários problemas que afligem o Continente Africano, no que concerne às mudanças climáticas, suas causas e impactos.

A mesma, irá contar com a presença de especialistas e activistas sociais e ambientais de Africa e Europa, visando ainda aprofundar a compreensão das comunidades da África Austral, da sociedade civil e representantes do Governo, sobre as questões das mudanças climáticas, energia suja e falsas soluções; considerar as questões da pobreza energética e a falta de acesso à energia em África e em outros lugares, a partir de uma perspectiva de uma via de desenvolvimento de baixo carbono, clima seguro, equitativo e democrático; contribuir como uma peça chave para o esforço global de construção do movimento para recuperar o poder dos povos e exigir a urgente transformação do sistema energético e alimentar, em Moçambique, em África e em todo o mundo; bem como desenvolver um plano de acções colectivas em relação aos resultados da COP21 – Acordo de Paris, com o envolvimento activo da sociedade civil moçambicana.

Assim sendo, a Justica Ambiental vem por este meio, convidá-lo a participar neste encontro, que terá lugar do dia 31 de Agosto a 2 de Setembro de 2016, no Complexo Kaya Kwanga em Maputo.