terça-feira, 15 de dezembro de 2009

LIRA GLAMOR DA MULHER NEGRA


Lira o glamor da mulher negra
Estacios Valoi
15/12/09
A cantora sul-africana Lira actua na capital Moçambicana Maputo no dia 18 de Dezembro no espaço Big Brother
Lerato Molopo ou Lira, nascida em Davetown, começa a palmilhar os palcos aos 16 de idade confirmando os seus dotes musicais cantando versões e músicas da sua própria autoria viradas para o R&B, Jazz e outros ritmos. O seu segundo álbum arrecadou cinco nomeações no Grammy Awards sul-africano nas categorias de como melhor artista revelação, melhor artista feminina, melhor álbum R&B, a solo e o vídeo cujo álbum fora lançado em 2007 na Itália.
Do Cape Town Internacional Jazz festival a outros eventos, poucos não são os seguidores que Lira vem atraindo que de entre outros sonhos mais um concretiza se domingo próximo com o seu casamento ‘casar com o homem que amo’ isto depois da gravação do seu primeiro DVD ao vivo
No momento com três álbuns publicados, nas suas músicas enquanto canta vai ‘conversando com os seus antepassados ‘carimbando a sua afirmação com temas como ‘after hours’ ‘ Wa Mpaleha’ mais ainda com o seu mais recente trabalho intitulado ‘alma e mente’ (Mind and soul), não deixando também de seduzir o público com outros como ‘coração de uma criança (Heart of a child).
Pela segunda vez em Maputo, vegetariana não ira pelo camarão do meu amigo Chico António preferindo permanecer leal aos seus pratos que com os fans vai partilha.
O glamor dessa mulher vegetariana, a cantora, a forma de vida. Como é que poderias descrever te?
Sou uma pessoa simples em muitas formas, é o aspecto íntimo que me faz alegre e adoro continuar sendo mulher, gosto de todas as coisas femininas e encontro muita forca nas coisas que me tornam mulher, como ser emocional. Trago e guardo o meu coração nas minhas mangas e não tenho medo de expressar os meus sentimentos. As minhas músicas são carregadas da minha verdadeira essência, o que realmente sou o que não difere tanto da minha forma de estar, a minha filosofia de vida simples, viver a vida na sua completa plenitude e alegria, velar pelo planeta com muito cuidado e responsabilidade, ser boa para com as minhas companheiras, a mulher.
Segunda volta a Maputo. Que expectativa para a audiência?
Como sempre tento cantar todas as músicas favoritas. Desta vez trazemos as 6 pecas que compõem a banda, numa experiencia completa mais dinâmica e sempre esperamos que no fim do concerto as pessoas saiam com a sensação de terem vivido uma boa experiencia. Também trazemos o nosso novo CD ao vivo e um DVD intitulado ‘vivo em concerto: uma celebração ‘ que estarão disponíveis para os nossos fans e publico em geral.
A quanto tempo exactamente vens cantando, produzindo o seu trabalho
Foram anos de muito trabalho persistente, consistência até o actual estágio, na forma de escrita das minhas músicas e actuações. Gosto do que faço e provavelmente este gostar é o mais importante ingrediente nesta longa caminhada.
Mas quando é que este gosto, paixão ou esta luz vislumbra pela primeira e leva te ao mundo da Musica?
Estava na casa dos 16 anos quando comecei a cantar, com passar do tempo, aos 23 anos abandono definitivamente o meu trabalho e sigo a carreira musical e o meu primeiro álbum foi lançado em 2003, mas o meu melhor trabalho realmente começa em com o álbum ‘Sinta te bem’ (Feel Good) em 2006, e, espero crescer mais e mais depois de ter lançado o ‘‘mente e alma (Soul and Mind), o qual arrecadou o maior galardão alguma vez ganho por uma mulher no Garmmy Award de Musica da África do Sul. Actualmente o meu DVD’ Vivo em concerto (Live in a concert):’uma celebração’ que em três semanas atingiu uma venda de ouro e isto continua a aumentar de ponta a ponta.
De que fonte trazes a tua inspiração?
Trago da vida, do amor, dos filmes e da música.
Pela casa dos três álbuns. Quantos realmente são e o teu favorito?
Tenho um total de quarto álbuns e um DVD. Há sempre uma canção favorita na qual me concentro mas isto depende da minha disposição no momento. Agora estou adorando a canção, ‘crente’ (Believer)
Quais os membros que vão compor a banda e porque esta escolha?
Fazem parte da banda Tshepo na viola baixo e Victor Mngomexule no principal piano – Josh Zacheus é o melhor baterista no país (RSA), Mpumi Dlamini- piano, saxofone e canta, também super talentoso e todas as minha musicas escrevo-as com eles durante estes 8 anos que juntos trabalhamos e por ultimo tenho o Grant Tregellas na guitarra que trás para a banda um toque global adicional com a sua versatilidade, estes últimos com venho actuando a sensivelmente 3 anos.
Glamor da mulher negra. Alguns dizem que temos lideres fantoches. Qual é o teu ponto de vista relativamente ao contexto actual do continente africano embrulhado em muitos e vários problemas?
Em termos administrativos a África tem um longo percurso pela frente mas também é necessário mudar a concepção de nação a longa escala. Não podemos deixar que os líderes governem o continente ao seu belo prazer, o povo tem que ter a sua responsabilidade e isto vai levar seu tempo, talvez por muito mais gerações vindouras ate que alcancemos o ponto do auto sustentabilidade, e os poderem, deve primar pelo uso dessas oportunidades para fazer a diferença.
Quando estas no palco olhas para mim, qual é o foco?
Geralmente vivo o momento, deixo andar e ter bons momentos abrindo me para que as pessoas entrem em mim e com elas partilho um pouco daquilo que sou. Para mim sou sempre uma experiencia única. Gosto disto.
Neste mundo a palavra medo faz parte do teu dicionário?
O medo. Quiçá acaba antes de fazer tudo o quero. Penso que o medo é permanente mas com a forma como tratamos o planeta creio que para nós torna se desconfortável. Menos água, mais aquecimento, muito frio, demasiada chuva…etc.
Acima fazes menção as tuas fontes de inspiração. Qual foi o livro mais importante que ‘bebes te’ de lá a esta fase?
Conversas com deus, provavelmente mudou mais minha vida olhando para aquilo que foram anos passados, antes de 2003.
Por aqui alguns músicos andam a boleia dos partidos, Lucky Dube dizia ‘tu pertences ao partido político, eu pertenço ao partido da musica’. O teu sucesso. Apanhas-te o comboio do fortalecimento económico para a população negra (BEE) aí na África do Sul?
Aquilo é hilariante… Não. Tenho a minha própria missão e vou continuar perseguindo as minhas paixões. Na música não existe (BEE)
Dois dos teus objectives, lançamento do DVD ao vivo e o teu casamento alcançados. Porquê as coisas mais importantes?
A diferença é que estas são coisas que vinham sob meu controlo a bastante tempo, planejei e as executei como quis, ao meu estilo enquanto as outras não menos importantes que este ano consegui alcançar foram uma bênção! Este 2009 tenho muitas coisas por celebrar!
Foi o primeiro homem que encontras-te que realmente amas-te num ‘piscar de olhos?
Não sei como melhor responder a esta questão. Pergunta estranha! Foi o primeiro que encontrou os meus pais.
No concerto em Maputo, o que vais vestir?
Sempre vestimos roupa desenhada e feita na África do Sul

4 comentários:

  1. pow cara eu sou brasileiro e adorei a voz dessa mulher e ela e mt bonita tbm, quando ele cantoo na capa do mundo eu fiquei pasmo, mais ollha que conhecidencia meu nome tbm é lira
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    I LOVE YOU LIRA!

    ResponderEliminar
  2. bom, conheci Lira a pouco tempo mais ja sou muito fa dela! essa mulher e linda e canta bem d+!!! shirayka

    ResponderEliminar
  3. Essa mulher vale ouro, assisti a actuação dela em 2010, este ano terei a oportunidade de ver novamente...... "feel good"

    ResponderEliminar