quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Município de Pemba sem agua

FIPAG incapaz Texto e fotos:Estacios Valoi 06/09/12 Incapacidade do Fundo de Investimento de Agua (FIPAG) no abastecimento de agua na cidade de Pemba na província de Cabo Delgado agudiza se a cada dia que passa. Pemba com 146 mil habitantes a cerca de três anos vê se a baraços com a problemática de escassez de agua que faz com que a população deste ponto do Pais passe horas a fio do seu dia-a-dia colados as fontes de agua quer nas suas residências ou pelas ruas a espera do preciso liquido que na maior parte das vezes nunca sai. São pessoas, recipientes enfileirados na lufa-lufa diária a procura da água para satisfazer as suas necessidades através de um sistema de abastecimento e agua que mais do que fornecer, faz sim uma sob facturação nos montantes exigidos aos seus clientes em cada mês. Uns dias, semanas agua não sai e quanto isto acontece leva de quinze a trinta minutos de dia ou de noite, sem um aviso prévio das horas do fornecimento do precioso liquido, salvando se alguns que tenham cisternas nas suas residências e/ou estabelecimentos, cisternas essas que existem um pouco por todo lado, latas.recipientes de reserva para os próximos dias com facturação da empresa incompatível com o seu fornecimento. Após dias rastreamento do município de Pemba, assim como pelos factos constatados também nas residências vizinhas de onde a nossa reportagem se encontra, espera um cenário sombrio, mais ainda, para além dos 144 mil habitantes do município de Pemba, cerca de três mil delegados do partido dos camaradas vão escalar esta urbe no próximo mês em mais um congresso Frelimo. O FIPAG que todavia ainda se encontra a tentar remedar o sistemas de abastecimento de água a cerca de cinquenta quilómetros da cidade no ponto ‘A’ ao longo da auto-estrada no troço Metuge, Muxara, Pemba adentro faz três anos, durante o seu estudo de viabilidade, segundo fontes tinha pleno conhecimento que a situação do abastecimento de agua iria agudizar se em 2012/13 mas pouco ou nada fez para minimizar esta situação. Segundo o presidente do município Tagir Assimo Carimo contactado pela nossa reportagem via telefónica que também já foi um quadro daquela instituição a situação é deveras preocupante. “Eles fazem esses abastecimentos em slides e as vezes a água não sai porque lá no ponto de captação a capacidade de inserção não é muito grande. Então nós continuamos preocupados com esta situação apesar do esforço que esta a ser feito mas há esse facto. Montaram se várias fontes mas não vão de encontro ao fluxo populacional de Pemba mas, me parece que eles fizeram um estudo e sabem muito bem qual é a demanda. O grande problema é mesmo lá na fonte de captação de água, julgo que os furos são poucos e provavelmente o próprio lençol freático já deve começar a escassear, mas isso devia ser o FIPAG a confirmar; Eu tenho suspeitas, trabalhei lá como assessor e já sabíamos que por volta do ano 2012, 2013 haveria problemas de escassez”. “Um dos grandes problemas que tenho tido quando vou a população, dizem que as facturas são elevadas com relação ao consumo, não há uma proporcionalidade directa da água que se consome com o que se paga. Já Abordei essa questão ao FIPAG mas o mesmo diz que fornece agua e a população diz que não só nos dão grandes facturas. Sinceramente falando ainda não encontrei uma solução para este caso, por um lado é o FIPAG e por outro é a população. Creio que há um esforço que esta sendo feito pelo FIPAG por um lado para aumentar mais furos lá na fonte de captação e por outro lado eles tem uma fonte própria de energia, sei que há um esforço que esta sendo feito por parte deles no ponto “A” que se situa a 50 quilómetros da cidade de Pemba. Estou a agendar ir para lá porque também estou preocupado, gostaria de junto do FIPAG compreender o que esta sendo feito. Estou a espera da confirmação da directora do FIPAG porque estão no conselho coordenador”. Enquanto se esperava a confirmação da directora do (FIPAG) Cabo Delgado Samira Gafur ainda no conselho coordenador, a guerra da água instalada se agudiza e, não apenas o vereador da área de desporto Issa Termomade que falou a nossa reportagem, a maior parte dos citadinos anda em olimpíadas de cem a dez mil metros a procura do precioso líquido e o FIPAG factura. “A situação da água na cidade de Pemba não esta católica ‘e muito complicada, há pessoas, casas que ficam três, quatro dias e outros uma semana sem agua, ainda ontem estava com alguém no município, uma pessoas que esta a fazer blocos de construção e gasta três a quatro mil meticais por mês que dizia que há um mês que não tem agua. FIPAG esta a fazer essa instalação de bombas a cinquenta quilómetros daqui entre Muxara penso que há outra em Metuge ainda não esta concluído, uma situação que já vem há muito tempo, é uma estoria velha de dois três anos. Em Pemba a situação da água sempre foi complicada e o FIPAG sabia que até este ano, o próximo, Pemba ia enfrentar graves problemas de escassez de água. Enfatizou Tormomade. Enquanto isso as facturas que o fundo de abastecimento de agua vai enviando aos seus clientes, as quais são pontualmente entregues exigindo lhes que paguem valores, não apenas exorbitantes mas também incompatíveis com o aparente fornecimento e consumo levanta um pé-de-vento. A nossa reportagem passou por algumas residências assim como pode falar com alguns citadinos e as opiniões não divergem. Facturação/ População “Aqui nós pagamos dinheiro no FIPAG. Sempre alguém passa com facturas ou nós vamos lá pagar água mas não sabemos bem porque estamos a pagar água que não sai. E, nós vamos procurar água noutros lados, também que comprar. FIPAG cobra muito dinheiro mas não esta fazer nada”. “Aqui não tenho água desde muito tempo mas sempre tenho que pagar dinheiro, muito dinheiro e estão a roubar dinheiro. Aqui em casa do meu vizinho também não sai água ate lá no outro lado Bairro Paquete também não sai. Hoje não tomei banho só para cozinhar, sai mesmo assim desenrascar vida, Município não diz nada”.
“Não se justifica que passado muito tempo e com o tal estudo feito para o abastecimento de água em Pemba, feito a anos até hoje não tenhamos agua. Ė tanto quanto caricato que o Fundo de Investimento de Abastecimento de água não tenha capacidade, mesmo com os montantes exorbitantes que vamos pagando. Este tempo todo em que fomos pagando e vamos pagando para ter água que não temos porque não finalizaram as tais obras que fazem com o nosso dinheiro? Todos os meses trazem facturas, para onde vão os dinheiros que pagamos se não temos agua? Penso que o FIPAG deveria solucionar este problema assim como reduzir os montantes que vem nas facturas”.

Sem comentários:

Enviar um comentário