terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ministro do Interior contradiz se na Zambezia


Texto e fotos: Estacios Valoi
01/08/11
O Ministro do Interior visitou recentemente realizou uma visita a província da Zambézia para espevitar os membros da sua corporação no seu todo pelo trabalho que tem vindo a desenvolver.
Numa província me que o índice de criminalidade vem se agudizando o ministro do pelouro depois de um atraso de cerca de pares de horas, das 09h00, horário marcado para o encontro geral o qual só veio a ser realizado por volta das 13h00, considera o que o índice de criminalidade tende a baixar.
Nos distritos para onde nós vamos desta vez os essenciais e saudar aos membros do ministério do interior no seu conjunto pelo bom trabalho que tem vindo a fazer e recomenda-los para fazer muito mais para satisfazer as necessidades do nosso público. O informe sobre como é que o trabalho esta a correr e traçamos estratégias de como enfrentar os passos seguintes.
Ainda no mesmo diapasão, contudo sem que o ministro especifica-se as estratégias a serem implementadas pelo seu ministério, alegando serem de fórum interno, disse estar satisfeito com o nível de trabalho em que a sua corporação se encontra nesta província. Nos distritos de Milange Gurue e Namacura qual foi o essencial que transpirou?
. Estou satisfeito com o índice de criminalidade em que nos encontramos. Quanto as especificidades são questões muito internas da nossa instituição e ficamos felizes em constatar que o índice de criminalidade tende a baixar e a operatividade também, de facto esta acima de 80%. A polícia tem conseguido esclarecer os crimes que ocorrem mas precisamos de fazer muito mais para o resultado desejado e que toda a gente se sinta bem.
Nem que fosse um crime não havia de me satisfazer porque o nosso esforço é por os moçambicanos numa situação de segurança, mas quando olhamos para os números que controlamos na polícia ficamos de algum modo satisfeitos ao verificar que há uma tendência de redução do índice, mas ainda não estamos satisfeitos quando compreendemos que há factores que contribuem para o cometimento do crime”.
Comandante da Policia vive no Hotel Flamingo
Fazer bem para que todos se sintam bem foi o que o ministro enfatizou quando questionado sobre o actual comandante da policia na província da Zambézia Lourenço João Catandica que desde que foi empossado a três meses reside num dos quartos do Hotel Flamingo, no primeiro piso cujo ministério do interior paga 2.500 meticais dia, isto para alem de outros serviços que o membro a policia desfruta quanto a própria policia nesta fase de medidas de austeridade tem falta de meios.
“Não sei se o senhor jornalista tem uma casa para me oferecer que agradecia que ele havia de mudar se imediatamente. O facto é que não há casa e confirmo que ele vive numa instância hoteleira e tenho a informação que a casa em que vivia o Antigo Comandante Manuel Filipe Zandamela deve ser desocupada mas esta lá a família do antigo comandante que estava lá que também precisa de uma casa lá para onde ele foi”.
Enquanto isso a esposa do antigo comandante mantém se na mesma casa na cidade de Quelimane e não em Maputo para onde Zandamela foi transferido, e o ministro tenta justificar a incapacidade da sua instituição que dirige.
“Para levar a família ele ainda precisa de criar condições lá onde esta. Tem toda a razoa de se resolver muito rápido, o problema é o que significa mais rápido possível! ‘E de facto criarem se condições em ambos os lados, tanto aqui como lá e termos o problema resolvido. Mas o problema de casa, alojamento, é um problema que toda a gente sabe.
Não ‘e fácil ter casa neste momento e nem pode construir tão já. ‘E um desafio que nós temos e as vezes temos estas contingências. As condições em que a policio trabalham e, penso que outras áreas, mesmo a dos jornalistas são difíceis. O nosso comandante vale muito mais do que isso.
Quanto aos recrudescimento dos casos de linchamentos no pais e a falta de confiança e credibilidade da policia no seio da população, o que muita das vezes azo para que as pessoas recorram a linchamentos, o ministro disse que a sua corporação esta contra estas praticas e melhor relativamente ao ano transacto.
“Realmente estamos contra os linchamentos e se dependesse de nós não se devia linchar a ninguém, não ajuda, nem a policia nem a ninguém. Pessoas a tirar vidas humanas naquelas condições em que muitas vezes crianças assistem e de certeza deixam traumas nessas crianças. Veemente dizer que estamos contra os linchamentos.
Entretanto são assuntos da vida social que não dependem só de uma área, a policia, mas sim de um conjunto de factores que devem ser desenvolvidos de forma que os moçambicanos compreendam que fazer linchamento não é fazer justiça. Estamos a fazer de tudo para que as pessoas se sintam protegidas e que um julgamento legal oportuno seja feito para contribuir, mitigar este problema.
Situação criminal em Moçambique comparativamente ao ano passado ‘e melhor.
Distrito de Mocuba com comandante
Por mais de ano e meio o distrito de Mocuba esteve sem comandante, apenas com um chefe interino, actualmente, sexta-feira ultima foi indigitado Filipe Gumene com novo comandante.

Sem comentários:

Enviar um comentário