segunda-feira, 12 de março de 2012

Presidente do conselho municipal de Pemba




Texto e fotos: Estacios Valoi
11/03/12
Para quem caminha pela urbe do província do Norte, Cabo Delgado, uma das mais badaladas quando se fala do turismo, actualmente do gás, petróleo e alguns atropelos como a privatização das praias por parte de alguns cidadãos estrangeiros, algo que não constitui novidade a semelhança das estradas que se transformaram em autenticas crateras, sem semáforos, a construção de casas nas barreiras, algo que periga a vida dos moradores das zonas periféricas.
Facto, é que os problemas não são de hoje, já vem ao ritmo do anterior elenco daquele município. Mas para não passarmos a socapa, num breve momento entrevistamos o actual edil do município de Pemba Tagir Assimo Carimo.
EV-A problemática das estradas, lixo, infraestruturas... é uma constante já de outras épocas no município que actualmente dirige. Durante estes meses do seu mandato que já foi feito?
TC- Nestes dois dias de campanha estamos a prestar atenção na questão da acumulação do lixo com envolvimento de empresários locais que disponibilizam alguns meios como transporte, equipamentos e nós pomos combustíveis fazemos o uso e devolvemos os equipamentos.
EV -Qual é a política económica do município?
TC -O município funciona com um todo. Com base no manifesto de 2008 das actividades que estão sendo levadas a cabo, para a revitalização das infra-estruturas, saneamento e segundo o levantamento feito precisamos de 25 milhões de meticais, montante que não temos neste momento.
Um dos parceiros que é o Fundo de Estradas alocou 9.200 milhões de meticais e grande parte do bolo foi para as obras do ano passado no tapamento de buracos nas avenidas Eduardo Mondlane, 16 de Junho, 1 de Maio e Marginal.
Quanto ao saneamento é um assunto que deve ser assumido como um todo e na apenas do município. O munícipe também tem as suas obrigações dentro daquilo que é o código de postura municipal, parte da gestão do munícipe, é preciso uma sensibilização com vista a mudança de comportamento. Lançamos campanhas na rádio, através de grupos culturais, musica… O lixo deposita-se das 17 horas as 6h da manha.
Temos multas para pessoas e instituições que jogam lixo em locais impróprios, os que ateiam fogo em contentores. Ex, Pessoas singulares 200 meticais e 1000 meticais para instituições públicas, privadas e, 16 de Marco será a data para a sua implementação
EV -Numa cidade com esta em que o turismo contribui para o município através do pagamento de impostos. Até que ponto esta actividade tem impacto para os cofres do município?
TC- Nós não temos taxas para receitas provenientes do Turismo estabelecidas, isto, esta a nível do órgão central, questão que tenho que debater. Os turistas compram produtos dos vendedores e contribuem para a renda familiar.
Mas quanto ao código do tributo municipal não há taxa de turismo, é preciso uma reflexão e ver que benefícios o município pode ter.
EV -Privatização das praias algo que o nosso órgão acabou de constatar mais um caso aqui no vosso escritório em que um individuo de nacionalidade portuguesa bloqueou a estrada, fazendo desta sua propriedade assim como o impedimento do uso da praia por parte de banhistas e quando a população reclama solta os seus cães contra essas pessoas?
TC- Temos instâncias turísticas, em alguns com falta de acesso a espaços comuns, praias. Não temos casos graves. O caso da comunidade de Chiura ao longo da costa na Zona do Farol, vimos que houve um atropelo grave e o empreendedor já foi dito para rectificar.
EV- Em que situação encontrou os cofres do município?
TC -Não temos fartura, mas sim dinheiro suficiente para começar a trabalhar e uma excelente coabitação com o governo. Temos uma parceria na área da educação, saúde e ainda este ano vamos assinar um memorando em que algumas escolas vão passar para a gestão do município

Sem comentários:

Enviar um comentário