terça-feira, 27 de março de 2012

Cinco palcos um festival





Texto e fotos: Estacios Valoi
(Cape Town)A 13 terceira edição do festival internacional de Jazz Cape Town vai crescendo a cinco ventos a nível internacional a cada momento que passa desde a sua inserção desde 2000 no mundo dos festivais.
Actualmente um dos mais sonantes no mundo e o maior de África o numero e espectadores, amantes deste género e musica vai aumentando desde da sua fase inicial em que contou com cerca e 14 mil espectadores e, hoje já na casa dos 34 mil.
Mais de 40 artistas, alguns dos quais já presentes aqui em Cape Town fazem parte deste vasto leque de estrelas que a cada ano que passa vão rasgando os palcos montados para tal. Logicamente que não se vai fugir a regra nos próximos dias 30 e 31 do corrente mês.
O alinhamento para os cinco palcos num mundo espectacular em que os bilhetes para o acesso aos dois dias vão e 400 a 500 Rands, tem como primeira linha os seguintes artistas:
Hugh Masekela& e seus convidados celebrando Mama “Africa” (SA) Moreira Project (Mocambique), Marcus Miller (USA), Dave Koz &Patti Austin com conviado especial (USA), Unathi (SA), Allen Stone (USA, HHP (SA), Zakes Bantwini (SA), Nouvelle Vague (Franca), Ill Skillz (SA), Atmosphere (USA), Jean Grae (USA), Good Luck (SA), Pharoane Monch (USA), James Ingram (USA), Zahara (SA) que recentemente esteve em actuação em Maputo, Mocambique, Zamajobe (SA), Herbie Tsoaeli (SA), Dorothy Masuka (SA), Adam Glasser (UK/SA), Patti Austin Trio (USA) Kevin Mahogany (USA), The Andre Petersen Quintet (SA, USA, BL), Donald Harrison the trio/Ron Carter& Lenny White (USA), Brubecks Play e convidado especial Mike Rossi (USA/SA), Steve Dyer (SA), Sophia Foster (SA) Xia Jia Trio (China), Victor Kula (SA), Alfredo Rodriguez (Cuba), Jason Reolon Trio em performance com Buddy Wells (USA), David Sanchez e seu convidado especial Lionel Loueke (Porto Rico/Benin) Steve Dyrell (SA), Unathi (SA), Allen Stone (USA) Hassan’ adas (SA), Mike Stern& David Weckl (USA), Alexander Sinton High School Jazz Band (SA) Gabriel Tchiema (Angola), Lindiwe Suttle (SA), Virtual Jazz Reality (USA), Third World Band (Jamaica), Zakes Bantiwi (SA),




Com cerca de 34 000 espectadores nos últimos 12 anos o festival internacional de jazz Cape Town na 4 posição do ranking os festivais do género no mundo, brilhante como o de Montreal na Suíça e o do North Sea Festival na Holanda, ‘e conhecido como Grande encontro africano a ter lugar no “Convention Centre” em mais um evento produzido pela espAfrica e patrocinado pelo departamento sul-africano de artes e cultura, pela Cidade de Cape Town, Oudi Meester, Hansa, governo do Cabo Ocidental, Decas…mais uma vez será um momento único, impar, luzes, cores, sons, espírito, alma. Uma viagem transcendental.

Mas para além dos concertos agendados para os ias 30/31 deste mes, a organização, com em todas as edições, também criou um espaço de concertos comunitários a serem realizados em Green Squere Market, a poucos quarteirões do ‘Convention Centre” onde algumas as estrelas que vão desfilar nos dois principais dias terão a oportunidade de poder actuar para a comunidade de Cape Town que não sua maioria não poderá ter acesso a bilheteira, um festival para todos.

Em simultâneo estarão a disposição, exposição uma exposição fotográfica sobre o festival, gastronomia.um vasto leque de actividades que geralmente tem o seu preludio no primeiro dia do festival e culmina em apoteose nos últimos dois dias.

Numa breve visita pela cidade de Cabo, a nossa reportagem, enquanto tentava pentear o lado de cá, pode encontrar, por acaso como o musico moçambicano Moreira Chonguica, num dos restaurantes que a seu bel-prazer, enquanto conversava e relaxava para os próximos ia se deliciado de um café. Na companhia de..ao som do sopro da brisa e o som dos carros por aquelas bandas que disse estar pronto par o festival.

Tudo esta a ser feito para que este festival seja um sucesso, isto, para além da confirmação de Rachid Lombard um dos mentores deste festival, a nossa reportagem visitou o ‘Convention Centre’, os espaços onde os cinco palcos estão a ser instalados. Luzes, fios, ferros, colunas, microfones, bombos, um autentico jazz proveniente dos sons que estes equipamentos vão libertando, a mistura das vozes, do som que as pessoas que tudo fazem para que este festival seja um sucesso vai se misturando, tudo transforma se num cruzar de sons, ritmos, cores, desaguando num Jazz a outro ritmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário