quarta-feira, 15 de junho de 2011

Turismo e as vias de acesso na Zambézia

Turismo e as vias de acesso na Zambézia
Texto e fotos: Estacios Valoi
15/06/11
Zambézia é uma das províncias com um potencial turístico de invejar contudo adormecido devido a varias questões de índole infra-estrutural e não só onde nos últimos tempos tem vindo a tentar marcar espaço no panorama nacional através de investimentos de vulto como Zalala Beach Lodge and Safari que percorre uma linha de costa de Quelimane ate ao outro lado cruzando água com o distrito de Macuse. Eis o rescaldo do Presidendente do Municipio de Queliamne Pio Matos.

EV- Qual é a sua percepção sobre o turismo na Zambézia e qual é o impacto para o município de Quelimane?

PM -De facto na Zambézia e na cidade de Quelimane é onde existe um grande potencial turístico, desde Pebane, Praia de Zalala, as águas quentes no Gurue, Nicoadala-Nhafuba, Milange. Em todos os distritos há uma atracão turística importante, mas concretamente falando daquilo que são os ganhos que a província esta a tirar desse potencial ainda se encontra bastante moribundo, os investimentos por parte dos ainda são relativamente exíguos, provavelmente por falta de capital e não se atiram a esse negocio porque algumas infra-estruturas não estão a altura.
EV - Para ir a Pebane, Zalala hoje ainda é um tormento e longe de ser solucionado. Que saida?

PM - A praia de Zalala é uma situação delicada. Quando não tens infra-estruturas básicas que possam sustentar estes grandes investimentos porque o tempo de férias é sempre limitado o turista quer chegar rapidamente ao seu destino. Temos que evoluir e olhar que não somos únicos que temos esses espaços alternativos para o turismo, o mundo esta cheio destes. Torna se necessário melhorar as condições para que o turista se sinta bem recebido para desenvolver as suas actividades.
EV -Há uns cerca de 40 quilómetros da cidade de Quelimane localiza se Zalala Beach Lodge and Safari. Qual é os seu ponto de vista sobre aquele ponto turístico?

PM -Penso que Zalala Becah Lodge and Safari assim como todos os investimentos são bem-vindos. Verdade que já tem energia, agua mas a questão básica que é a estrada sempre será um o meio preponderante para este investimento. Não quero entrar muito na gestão da própria praia que já foi do município mas agora dizem que é pertença do distrito de Nicoadala ao abrigo de interesses que me são bastante alheios mas espero que na nova divisão administrativa a praia volte ao seu legítimo dono que é o Conselho Municipal de Quelimane e dai possamos continuar com aquilo que eram as nossas políticas porque quem fez a urbanização da praia foi o município de Quelimane, um trabalho bastante aturado.
Estes investimentos tem que acontecer em paralelo caso não vamos ficar num dilema e sem saber o que apareceu primeiro, se foi o ovo ou a galinha. É importante que o ovo venha primeiro e não a galinha porque ‘e ai que temos que ter a noção clara para fazer o investimento no turismo.
EV -Nas nossas anteriores conversas questionou sobre própria qualidade das estradas já e por reabilitar assim como fez referência sobre um investimento da comunidade europeia para as tais vias de acesso. A via a Zalala e outras estão contempladas?

PM -Sim foi mas Zalala não esta contemplada neste pacote tanto mais que tínhamos um pacote inicial para cobrir 25 quilómetros de estrada mas segundo o relatório que estamos a apreciar
Foram executados uma drenagem deficiente e, em três ou quatro ruas na época chuvosa as águas ficam estagnadas o que não permite o seu devido escoamento e aliado a isso, aquilo que são os termos de referência que usam as tais chamadas novas tecnologias que se usam para fazer a estrada. São estradas sem pedra, as vezes ficam muito espantados porque não consigo compreender como ‘e que se pode fazer uma estrada sem uma base sólida.

Pelo menos numa cidade como esta, em que o nível freático é bastante alto devia haver uma base sólida sustentada. É usado o saibro, um solo de cimento e a estrada não aguenta e o resultado é o que estamos a ver.
O acesso a Zalala não faz parte deste pacote. Acredito que naquilo que é o diálogo com a Agencia Nacional de Estradas (ANE), esta continua na agenda das prioridades e logo que houver recursos o acesso a praia de Zalala será contemplado. Obviamente a ANE e nós vamos ter a estrada reabilitada, mais larga e provavelmente ate iluminada ate a praia de Zalala. Esse é o nosso sonho.
EV -Disse que a praia de Zalala é um projecto do município de Quelimane e depois passou para Nicoadala. Ate aqui que foi o que o distrito de Nicoadala fez em prol da Praia?

PM -Penso que não passou para Nicoadala por uma questão de qualidade ou capacidade técnica mas por uma decisão meramente politica que fez com que a praia deixasse de fazer parte da gestão e pólo de desenvolvimento da cidade de Quelimane como espaço territorial e passou para o Nicoadala por uma decisão meramente política. Espero que com a nova divisão administrativa a qual se propõe a assembleia da republica, nos próximos tempos possa de facto voltar a pertencer ao Distrito de Quelimane e dai a praia a cidade e Quelimane.

Sem comentários:

Enviar um comentário