quarta-feira, 15 de junho de 2011

Organização Espanhola prevê construção de mais de trinta unidades sanitárias


Organização Espanhola prevê construção de mais de trinta unidades sanitárias
Estacios Valoi
13/06/11
A organização Espanhola Concelho Inter-Hospitalar de Cooperação a operar em Moçambique desde os anos 90 criado por médicos daquele Pais em Moçambique a desenvolver as suas actividades nas áreas de desenvolvimento vai construir trinta e cinco unidades sanitárias e um conjunto de painéis solares nas quatro províncias abrangidas num projecto avaliado em cerca de 2.500.000 euros.
As quatro províncias que serão abrangidas pelo projecto que vai beneficiar a 2.300.000 de pessoas são a Zambézia, Sofala, Nampula e Tete com um financiamento da União Europeia cujo montante não nos foi facultado mas que será distribuído em quatro ate a fim do projecto.
Desde da sua criação a prior apoiaram na área de traumatologia e cardiologia, na formação de médicos moçambicanos, introdução de novas tecnologias, no fornecimento de equipamento hospitalar e na formação de recursos humanos proporcionando estágios para médicos por um período entre seis meses a um ano.
De acordo como o Director de projectos do conselho Inter- hospitalar de cooperação da Espanha (CIC) Xavier Gene em Morrumbala afirma que as unidades hospitalares em numero de trinta e cinco a serem construídas serão alimentadas a partir da energia foto voltaica e/ou painéis solares.
“São trinta e cinco unidades sanitárias que serão erguidas nas províncias da Zambézia, Sofala, Tete, Nampula e um conjunto de painéis solares. Durante estes anos trabalhamos na área de cooperação e desenvolvimento e, actualmente na província de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia, Inhambane e Maputo no apoio a construção, equipamentos técnicos e mobiliários hospitalares assim como no fortalecimento das unidades sanitárias já existentes”.
“ Na Zambézia principalmente trabalhamos no fortalecimento do serviço de Tratamento Anti Retroviral (TARV) para doentes com HIV/Sida positivos, no desenvolvimento do sector da saúde e fazemos duas áreas complementares. Por um lado o apoio nas infra-estruturas da saúde quer na construção de novas unidades sanitárias, maternidades, edifícios que necessitam e em simultâneo estamos a criar o serviço satélite de TARV nos postos administrativos de Dere e Chire no distrito de Morrumbala e durante mito tempo apoiamos este Hospital.
O projecto é bastante inovador e consiste na implementação da energia foto voltaica e painéis solares. Nesta primeira fase vamos começando com a instalação de trinta e cinco unidades sanitárias nas províncias da Zambézia, Sofala, Tete e Nampula e na segunda fase faremos vinte e cinco lojas de energia que são centros que vão proporcionar a população serviços de moagem, venda de gelo, informática, sobretudo orientado aos estudantes. A ideia ‘e utilizar energia foto voltaica em áreas rurais isoladas sem energia convencional para ter uma serie de serviços que actualmente não existem”.
Métodos
Penso que a população esta muito sensibilizada, na realidade o que falta é uma necessidade. A população sabe como utilizar a energia, só que não há suficiente electrificação e os custos de um projecto para electrificação são muito altos. Com a energia solar ‘e possível proporcionar uma serie de serviços e todo mundo gosta de um refrigerante bem gelado. Para tal Não precisamos de sensibilizar a população. Há uma serie de serviços que já são solicitados pela população.
Manutenção e sustentabilidade
Estas lojas de energia também abastecem as unidades sanitárias e neste contexto estamos a fortalecer as unidades de manutenção provinciais e distritais da saúde para proporcionar manutenção e a ideia ‘e que essas lojas possam ser sustentáveis uma vez que já estão a fazer serviços onde foram implementas pacotes económicos e através destes possam sustentar as instalações.
Nesta fase incipiente do processo de criação em quatro províncias mas nesta primeira fase na Zambézia estamos a trabalhar Mopeia, Morrubala, Milange, Nicoadala e Inhassunge tentar partilhar com a populacao para que se chegue a uma decisão conjunta mas a principal ideia ‘e criar uma rede de centros de forma que estejam associados e possam apoiara se mutuamente
Impacto
Dotar de energia as unidades sanitárias, é algo que e é feito por muitas organizações, com isto é que uma mulher que venha a ter parto de noite possa ter energia, criar condições para que um serviço de saúde possa ter o sistema de frio em condições de funcionamento desde a conservação de vacinas iluminação e para as unidades sanitárias ‘e lógico que tenham energia e um serviço para a populacao de melhor qualidade.
Dentro de dois meses vamos começar com a construção de uma nova unidade sanitária em Campata no posto administrativo de Chire em Morrumbala. Frisar que acabamos de construir duas maternidades em Gueriza e Dere apetrechadas com o respectivo equipamento hospitalar mas em Dere ainda falta outra unidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário