segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Jornalista Moçambicano atribuído prémio de jornalismo de investigação

FAIR/Estacios Valoi Fotos:Luis Nhanchote 02/11/12 (Joanesburgo) Trata se do jornalista deste Jornal Estacio Valoi que semana finda arrecadou o premio na área de jornalismo de investigação atribuído pelo Fórum para Jornalista de investigação da Africanos (Fair). O prémio foi atribuído semana finda durante o jantar do Fórum para jornalistas de investigação (FAIR), uma associação Professional de editores e jornalistas, juntamente com 2012 Power Reporting Conference na Universidade Wits. O prémio foi atribuído após a realização da conferencia anual do FAIR que acomodou cerca de 200 participantes vindos na sua maioria da África, Europa, Asia, America. Fórum submetidos ao premio 36 artigos sendo 27 em Inglês, 7 em Francês e 2 em português, o que segundo o jurado, “ um grupo impressionante” devido ao nível dos concorrentes, os trabalhos apresentados, pesquisas feitas na sua elaboração, algo superior comparativamente ao na transacto. “Reflectindo a diversidade da África sub-shariahana em três idiomas”, aclamados pelo jurado. Fizeram parte do jurado, editores e consultores na média Gwen Ansell, Mark Lee Hunter do INSEAD e co-autor de “Story Based Enquiry”, Tito Ndombi da News África, o Instituto de formação de jornalistas de Kinshasa Ifasic, o catedrático e decano do jornalismo Moçambicano Joe Hanlon, Brant Houston, o Representante da área de Jornalismo de Investigação da universidade de Illinois e David Kaplan, director do secretario da Rede Global de Jornalismo de investigação (Global Investigative Journalism Network secretariat). O primeiro premio no valor de 4000usd foi atribuído a uma equipa de jornalistas de investigação de renome do jornal “Sundey Times” Stephan Hofstatter, Rob Rose e Mzilikaza wa Afrika que foi ao pódio com o artigo “Shoot to Kill: Dentro da polícia sul-africana. Unidade do crime organizado sul-africano celebra depois de ter morto cinco suspeitos de roub. Devido ao impacto, tópico em si só perigoso, com todas as evidências documentadas, acesso a testemunhas, a magnitude do trabalho investigativo e a forma como foi compilado, o jure achou qualificado para arrecadar o primeiro premio. O segundo lugar coube a Estacio Valoi do Jornal Zambeze com o montante de 2500usd pelo seu trabalho em destapar a corrupção no governo na exploração ilegal da madeira na província da Zambézia em Moçambique com o artigo intitulado Lideres coniventes no saque da Madeira na Zambézia (Leaders Connive in the Looting of Timber in Zambezia), apresenta um turbilhão, o nível profundo das ramificações da correlação, trazendo ao de cima nomes e evidencias documntadas. Na categoria dos honrados fazem parte Solomon Adebayo da Rádio Nigéria por trazer a ribalta a situação crítica em que o hospital funciona, Kassim Mohammed do Star FM no Kenya por se infiltrar seio de uma Gang da comunidade de Eastleigh Nairobi, com coragem fez a investigação e Eric Mwambe que escreve para o jornal Le Phare e L’Eveil pelo seu artigo carregado de estorias horríveis relativamente as condições de mineração na Republica Democrática do Congo. Source: Global Investigative Journalism Network (GIJN) - http://www.gijn.org/2012/10/31/gutsy-exposes-undercover-work-earn-top-honors-in-2012-african-investigative-journalism-awards/, www.valoie.blogspot.com.

Sem comentários:

Enviar um comentário